O Metalúrgico #477



Não pagando o que deve aos trabalhadores, arrochando ainda mais os salários e dando calote na PLR, Usiminas comemora mais lucros

Os dados da própria Usiminas confirmam o que o Sindicato denunciou: a estratégia da direção da usina em demitir milhares aqui em Cubatão, dar calote no pagamento das perdas salariais acumuladas e na PLR do conjunto dos trabalhadores, fez os lucros aumentarem ainda mais. Veja:

- O lucro líquido foi de R$ 175,5 milhões, um aumento de 62% em comparação ao trimestre anterior.

- O EBITDA (lucro bruto) do primeiro semestre de 2016 foi R$ 119,36 milhões e no primeiro semestre de 2017 foi de R$ 1,2 bilhão. Um aumento de 975% na comparação entre o semestre.

- A produção tanto em Cubatão como em Ipatinga(MG), segue aumentado. Quando se compara o segundo trimestre de 2016 com o segundo trimestre de 2017, o aumento é superior a 200%, ou seja, é o ritmo alucinante, a pressão por mais produção e em condições de trabalho cada vez piores.

- As ações da Usiminas seguem tendo aumento.

- O preço do aço aumentou.

- As vendas também aumentaram, 990 mil toneladas no 2º trimestre de 2017.


E mais desrespeito contra os trabalhadores

Logo após impor mais arrocho salarial pagando apenas 4,5% de reajuste, o que está longe de repor as perdas acumuladas, anunciam um aumento do valor do plano de saúde de mais de 16%.

E a direção da usina ainda tem a cara de pau de distribuir um informativo sobre o plano de saúde desrespeitando os trabalhadores, ao tentar esconder o aumento de 16,5%, pois a tabela do informativo esconde o percentual para dar a falsa impressão que o aumento não é tão grande. Mas quem recebeu apenas 4% de reajuste, sabe muito o tamanho do rombo nos salários que esse aumento do plano de saúde vai provocar.

Para enfrentar tudo isso, só ficar indignado não basta. É preciso se colocar em movimento, pois só a luta vai barrar o arrocho e o desrespeito aos direitos, uma luta que tem que ser em cada área junto com o Sindicato. Além da mobilização aqui, é preciso fortalecermos a luta do conjunto da classe trabalhadora, num momento em que os patrões junto com o governo Temer e a maioria dos deputados e senadores, avançam contra os nossos direitos. É na luta que vamos garantir que nenhum direito seja à menos e avançar em nossas reivindicações.



Pressão e péssimas condições de trabalho

O gerente geral das laminações continua dando escândalo na área, pressiona e desrespeita os trabalhadores na laminação e na manutenção. Se toca chefete se não parar com a pressão contra os trabalhadores é você que vai parar no Judiciário respondendo processo de assédio moral.


Está o caos trabalhar na Enesa

A empresa está cometendo diversas irregularidades. Além de não efetuar a troca da roupa contaminada dos trabalhadores, na semana passada os companheiros ainda foram obrigados a tomar banho gelado. Assim que o Sindicato soube disso, fomos pra cima da empresa, mas até o momento nenhuma providência foi tomada.

Outro problema grave é o desrespeito ao intervalo da interjornada, com trabalhadores saindo às 16h45 e retornando às 22h45 do mesmo dia. E, para piorar, não estão pagando horas extras. E ainda tem chefete tentando perseguir trabalhador para saber quem fez a denúncia.

Não adianta nada, pois vamos pra cima contra mais essas irregularidades e desrespeito.


No recozimento, o cheiro horrível de resíduos continua

Já faz quase um mês que os trabalhadores no recozimento têm que trabalhar sentindo um cheiro horrível de graxa, óleo podre e resíduos de limpeza. Esses resíduos estão numa canaleta que passa entre a sala de mistura e a oficina de mecânica e elétrica do turno.

A Usiminas sabe disso e não faz nada, enquanto isso os trabalhadores são obrigados a trabalhar naquele cheiro insuportável.

Mas e se esse cheiro estivesse indo na sala do diretor industrial da usina e do gerente geral da laminação, seria a mesma enrolação pra resolver?



Usiminas e Breda trocam 6 por meia dúzia

Depois da denúncia do Sindicato, a Breda afastou alguns ônibus circulares que estavam caindo aos pedaços. Mas agora a Usiminas utiliza os mesmos ônibus de linha que leva os trabalhadores para suas casas para fazer a linha interna da usina.

Resultado: ônibus todo sujo, com graxa, ou seja, a Usiminas junto com a Breda trocou 6 por meia dúzia. Tem é que colocar ônibus novos para circular e fazer a devida limpeza.


Parceria com a repressão

A Polícia que a mando do governo Alckmin sempre está à disposição das empresas para tentar reprimir a mobilização dos trabalhadores, como foi na luta contra as demissões aqui na usina, agora tem também placa no Batalhão de Ações Especiais

da Polícia (BAEP), para ilustrar sua parceria com a Usiminas.


Denuncie os problemas no seu local de trabalho e participe das atividades chamadas pelo Sindicato


+ boletins