Aumenta os lucros atacando a saúde e a vida dos trabalhadores e ainda recebe prêmio: isso é a Usiminas

08/12/17

A direção da usina anunciou que vai receber um prêmio da Associação Nacional da Indústria de Material de Segurança e Proteção ao Trabalho (Animaseg), ou seja, é um patrão homenageando o outro.

Uma empresa que impõe péssimas condições de trabalho, que nas últimas duas décadas provocou a morte de mais de 50 trabalhadores e o adoecimento de outras centenas, vai ser premiada como se investisse em segurança e proteção à saúde dos trabalhadores. É muita cara de pau.

Aonde está o investimento em segurança? O que se vê na área são gambiarras se espalhando para todos os lados, tetos caindo, equipamentos de segurança cada vez mais precários e nenhuma proteção coletiva aos trabalhadores.

A USIMINAS SÓ ESTÁ PREOCUPADA NA SEGURANÇA DE SEUS LUCROS: a empresa que demitiu milhares e piorou ainda mais as condições de trabalho, festeja os lucros que não param de crescer.

Na semana passada, por exemplo, o valor de mercado da Usiminas atingiu R$ 12,38 bilhões, alta de 56% no acumulado do ano. Além de religar o Alto-forno em Ipatinga(MG), a Mineração Usiminas (Musa) voltou a ativar duas unidades de tratamento de minério nos últimos meses para sair de uma produção de 2,4 milhões de toneladas esse ano, para 6 milhões de toneladas a partir do primeiro trimestre de 2018. E aqui em Cubatão, as placas de aço não param de chegar e a exigência por mais produção é todo dia.


NÃO É PRESENTE DA USIMINAS: ANTECIPAÇÃO DA PLR É FRUTO DO TRABALHO DOS METALÚRGICOS E O VALOR RECEBIDO ESTÁ MUITO LONGE DO LUCRO PRODUZIDO

A Usiminas pagou no dia 07 de dezembro, o valor referente a 30% do salário de cada trabalhador como antecipação da PLR. Isso não é nenhum presente e o valor está longe dos lucros que os acionistas embolsaram. Lucro que é resultado do trabalho dos metalúrgicos. A direção da usina impõe metas cada vez maiores para aumentar seus lucros e dar calote nos trabalhadores.

Em Ipatinga(MG), conseguimos através de uma ação judicial movida pelo Sindicato, cancelar a forma como o programa de PLR era discutido de 2015 pra cá.

Tanto lá como aqui para garantir que a discussão seja feita diretamente com o Sindicato e não com uma comissão controlada pela Usiminas, além das ações judiciais é preciso ampliar a mobilização.

Só com nossa mobilização vamos garantir uma PLR maior e igual para todos.

+ notícias