O Metalúrgico - Metalúrgicas #603

01 de 09 de 2020

Índice:

-Nova proposta será apresentada na assembleia do dia 11/09, às 18h30;
-Acordos fechados individualmente;
-PANDEMIA: juntos lutar em defesa da vida;
-ATENÇÃO! Saque-Aniversário do FGTS: quando todo cuidado é pouco;



Nova proposta será apresentada na assembleia do dia 11/09, às 18h30

O Sindicato está convocando os trabalhadores e trabalhadoras nas empresas metalúrgicas da região para mais uma assembleia no dia 11/09, sexta-feira, às 18h30, na subsede do Sindicato, em Santos. (Av. Ana Costa, 55).


Na assembleia será apresentada e avaliada a nova proposta do sindicato patronal (SIMEES), para renovação da Convenção Coletiva de Trabalho (CCT). A proposta vergonhosa dos patrões de 2,46% (é apenas a reposição das perdas), e a PLR ridícula de R$ 350,00 à ser paga só em dezembro, foi rejeitada pelos trabalhadores na assembleia do dia 22/07.


É importante a participação de todos os trabalhadores na assembleia onde vamos avaliar e tomar importantes decisões.


A assembleia é presencial e é obrigatório o uso de máscara.


IMPORTANTE - Tem trabalhador esperando a 1ª parcela da PLR no próximo mês de setembro. O Sindicato informa que as empresas que não negociaram individualmente, estão aguardando uma posição do Simees que propôs o pagamento de parcela única de R$ 350,00 em dezembro, proposta bem abaixo da oferecida por outras empresas.



Acordos fechados individualmente

Há alguns anos, o Sindicato, por não tolerar a enrolação do sindicato patronal e as propostas que chegam a constranger os trabalhadores, vem tomando a iniciativa de convidar as empresas para negociar individualmente com as empresas.


Boa parte das empresas convidadas compareceram e fecharam acordos individuais com índices aceitáveis, inclusive a PLR.


Agora, veja abaixo algumas empresas que, apesar de convidadas, não compareceram e muito menos justificaram sua ausência.


- Alberto Scudero - ME

- Dagosi - Ind. Com. Fogões

- Kiart

- Termobrastec

- TP Escudero

- JS Antonio (PIER)

- THOMAS Manutenção

- HPS - Peças e Serviços

- Metalock

- Montman

- Depotrans



PANDEMIA: juntos lutar em defesa da vida

Já são mais de 115 mil mortos e mais de 3 milhões e 600 mil de contaminados pela COVID-19 no Brasil, e tanto o governo genocida de Bolsonaro como os governos estaduais e municipais intensificam suas investidas para a retomada das atividades econômicas.


A consequência disso é que a maioria da classe trabalhadora está na mira do vírus ao ser obrigada a sair para trabalhar. Enquanto nós sofremos o risco do contágio, os patrões podem ficar em casa apenas gerenciando remotamente seus lucros.


Mas os governos e patrões não estão preocupados com isso, para eles as vidas dos trabalhadores e suas famílias não importam. O discurso de preocupação com a economia brasileira tenta esconder que o real interesse é a garantia de seus lucros.


Governos e patrões batem na tecla da implantação de protocolos de segurança como a solução para o problema, e dizem que o retorno deve ser de forma escalonada. Mesmo assim, um retorno às atividades levará à um aumento no número de contaminações e, consequentemente, mortes.


A luta dos trabalhadores faz parte da resistência aos ataques desse governo que atende aos interesses dos capitalistas que se enriquecem na exata medida que arriscam o direito a saúde e a vida da classe trabalhadora.



ATENÇÃO! Saque-Aniversário do FGTS: quando todo cuidado é pouco

Todos os trabalhadores com contrato formal de trabalho pela CLT têm direito ao Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS). Esse programa protege o trabalhador demitido sem justa causa, mediante a abertura de uma conta vinculada ao contrato de trabalho.


As opções de saque do benefício são diversas como na aposentadoria, demissão sem justa causa, aquisição ou reforma da casa própria, doença grave, entre outros motivos.


Mas desde janeiro de 2020 foi criada uma nova modalidade: o saque-aniversário, ou seja, é permitida a retirada de parte do saldo do FGTS no mês do aniversário e nos dois anos seguintes. O trabalhador escolhe a data em que o valor esteja disponível entre o 1º e 10º dia do mês do aniversário.


Só que o trabalhador, apesar de ainda ter acesso à multa rescisória de 40% sobre o valor depositado, perde o direito à retirada do valor total de sua conta em caso de demissão sem justa causa.


IMPORTANTE - Em caso de desistência do saque-aniversário, o trabalhador vai ter que requisitar a CAIXA o cancelamento do saque-aniversário e esperar 02 anos para solicitar a mudança para a modalidade anterior. Mesmo assim, o valor será transferido para nova conta em outra empresa. Assim, quando for desligado sem justa causa, poderá retirar o valor total.

+ boletins